As Lendas e histórias sobre os Arenitos do Parque Vila Velha

Diversidade
As Lendas e histórias sobre os Arenitos do Parque Vila Velha

Muitas histórias e lendas giram em torno das formações rochosas, conhecidas como Arenitos, presentes no Parque Vila Velha. A Lenda mais popular explica a origem dessas rochas como o resultado de um romance proibido vivido entre o Índio Dhui e Aracê Poranga. Outra informação bastante difundida é a história de que “os Arenitos se formaram há mais de 300 milhões de anos atrás”. Nada disso está errado, mas agora vamos explicar de fato como surgiram as formações rochosas que encantam visitantes de todos os lugares do mundo.  

Após muitos estudos e pesquisas, conclui-se que há 300 milhões de anos a região do parque era coberta por um mar interior – um tipo de mar que se liga ao oceano por canais estreitos. Nesta época, o parque fazia parte de um supercontinente do sul chamado de Gondwana ou Gonduana, ele incluía a maior parte das zonas de terra firme que hoje constituem os continentes do hemisfério sul, incluindo a Antártida, América do Sul, África, Madagáscar, Seicheles, Índia, Oceania, Nova Guiné, Nova Zelândia, e Nova Caledónia.  

A região passou por várias mudanças. Na separação dos continentes, devido a colisão das placas tectônicas, ocorreu o levantamento do terreno que fez a formação dos Arenitos soerguerem do solo. Seguiram as glaciações e tudo se transformou num mar de gelo, isso mesmo, um mar de gelo há quase mil metros de altitude. Após alguns milhões de anos, o gelo derreteu, arrastou e juntou os pedaços de rochas e depósitos de areia deixados pelo extinto oceano, resultando nos famosos Arenitos que vemos hoje.    

Esta relação direta com a água não ajudou somente na formação e compactação dos Arenitos, mas também na composição de suas formas. Um dos principais fatores para vermos as formações rochosas com diferentes tamanhos e desenhos como nos dias de hoje é a ação das águas pluviais, que escoam sobre as paredes da rocha e desenham ao longo do tempo estas obras naturais, além da ação do vento em conjunto com a vegetação e a temperatura. 

Como pode observar, a água tem papel fundamental na formação do parque desde seus primórdios até a modelagem do seu aspecto atual. Água não falta no local, a precipitação média no Parque Vila Velha é de 1542 mm anuais, com chuvas bem distribuídas ao longo do ano, com um leve declínio de precipitações entre abril e agosto.  

Os Arenitos carregam consigo muita história e conhecimento e, hoje, encantam os visitantes que passeiam pelo parque contemplando sua beleza natural. O que antes era fundo do mar, hoje, 300 milhões de anos depois, encontra-se a uma altitude entre 794 e 916 metros acima dele, uma ligação histórica quase inacreditável ao pensarmos racionalmente. 

Acesse as redes sociais do parque, Facebook, Instagram e Pinterest.

Veja também

02/09/2021

Em um ano, desde a sua reabertura, o Parque Vila Velha recebeu quase 60 mil visitantes

Desde a sua reabertura, no dia 4 de setembro de 2020, após seis meses (...)

26/07/2020

10 dicas do que levar para uma trilha

Preparamos uma lista com 10 dicas essenciais que você precisa levar para aproveitar bem (...)

26/07/2020

Viagem rápida próxima à Curitiba? Saiba onde ir

Conhecer lugares novos, provar novas sensações e fugir da rotina faz bem para qualquer (...)